banner01

O que é estresse? Entenda os sinais de alerta que o seu corpo está te enviando

Mulher em frente a um computador segurando o pescoço com expressão de dor

Vamos começar esse artigo pedindo que você imagine uma situação. Você precisa entregar um trabalho importante para a sua chefe, mas não está conseguindo terminar porque surgiram outras demandas importantes na frente. Para piorar, você não está conseguindo se concentrar porque os seus filhos começaram a brigar perto de você. Afinal, essa é a vida em home office.

O tempo está passando, o prazo vai se esgotar e você está sob muita pressão.

Você provavelmente já passou por essa situação, não é mesmo?

Hoje em dia, por conta do nosso cotidiano cada vez mais agitado e repleto de atividades, sobretudo, nas grandes cidades, é comum estarmos sobrecarregados, estressados e ansiosos. Trânsito, levar os filhos para a escola, academia, trabalho... Sempre há algo para fazer, algum compromisso importante ou uma preocupação com algum evento importante futuro. O resultado: estresse.

A Organização Mundial da Saúde já considera o estresse uma epidemia global, atingindo 90% das pessoas em todos os países e classes sociais.

Mas o que é o estresse? Existe um lado positivo no estresse? O Blog da Amparo Saúde responderá essas e outras perguntas. 

O que é o estresse

O estresse é uma reação física e mental natural do corpo humano que, assim como a ansiedade, em pequenas quantidades pode ser benéfico para a nossa vida. O estresse é importante, pois é uma resposta do nosso organismo a situações extremas e de urgência, nas quais precisamos escolher se vamos “lutar ou fugir”.

Essa escolha que o nosso cérebro faz em milésimos de segundos pode ser a diferença entre viver ou morrer e foi fundamental para a evolução do ser humano. O órgão literalmente prepara o nosso corpo para a ação!

Porém, quando o estresse é contínuo pode indicar um quadro de estresse crônico que é muito prejudicial para a saúde, causando e agravando diversas doenças.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

O que causa o estresse

O estresse é causado pelo nosso sistema nervoso central que, ao avaliar uma situação, produz a resposta “lutar ou fugir” para nos proteger de alguma situação de risco iminente. 

O mecanismo é bastante simples: no cérebro, o hipotálamo ordena que as glândulas suprarrenais, inundam o nosso organismo com os hormônios do estresse, adrenalina e cortisol. Estes hormônios aceleram os batimentos cardíacos, dilatam as pupilas e enviam sangue para as áreas do corpo que mais precisamos durante uma emergência como músculos, coração, cérebro e outros órgãos.

É um mecanismo perfeito! Após o perigo passar, aos poucos, o hipotálamo ordena que os sistemas voltem ao normal e os níveis de hormônios que estavam elevados se estabilizam.

Contudo, segundo a Associação Brasileira de Medicina do Trabalho, o problema acontece quando o cortisol em níveis elevados permanece no organismo causando inflamações em diferentes órgãos e sistemas, como o coração e o sistema cardiovascular.

É como se o nosso corpo estivesse o tempo todo sobrecarregado esperando um perigo iminente que não acontece. Isso é demais para o organismo conseguir suportar e passa a prejudicar a nossa saúde.

Quais os sinais de alerta e sintomas do estresse crônico

De acordo com a Associação Americana de Psicologia, o estresse crônico afeta o nosso bem-estar físico e mental e pode causar sintomas como:

  • Ansiedade
  • Insônia
  • Pressão alta
  • Dores musculares
  • Irritabilidade

Além disso, ainda segundo a entidade, por conta do estresse crônico a pessoa está mais sujeita a desenvolver problemas cardíacos, obesidade e depressão. 

Leia também: Consulta por Telemedicina é mais "fria"? Confira mitos e verdades sobre essa nova modalidade de saúde. 

Como sei que estou com estresse crônico?

Agora que você já sabe o que é o estresse crônico e como ele é prejudicial para a saúde como um todo, você deve estar se perguntando como diferenciar o estresse normal ou agudo do estresse patológico.

A resposta está na frequência, no tempo de duração dos sintomas e no contexto. Se você passou por uma situação estressante, como um acidente ou um assalto, e após o evento os sintomas desapareceram, provavelmente é um estresse normal e esperado.

Por outro lado, se o evento estressante passou - ou mesmo, não ocorreu - e você ainda sente os sintomas por horas, dias ou semanas, pode ser um estresse crônico.  

A chave para diferenciar os dois está na continuidade dos sintomas.

Como diminuir o estresse

O estresse crônico é complexo, por isso, existem diversas ações que podem ser feitas para amenizar o problema. Os especialistas em saúde mental concordam que é preciso uma abordagem multifatorial para combater o estresse. Por isso, vamos a algumas orientações que fazem a diferença:

  • Faça atividades físicas: segundo estudo de 2018, estudos com animais descobriram que o exercício pode reduzir o comprometimento da memória em indivíduos com estresse, embora estudos em humanos sejam necessários para confirmar isso. 
  • Reduza a ingestão de álcool, drogas e cafeína: essas substâncias não ajudam a prevenir o estresse e podem piorá-lo, pois, em excesso, desregulam nosso organismo. A cafeína, por exemplo, é prejudicial para quadros de ansiedade, enquanto o álcool, piora o sono e a liberação de alguns hormônios. 
  • Cuide da sua alimentação: uma dieta saudável e balanceada contendo muitas frutas e vegetais pode ajudar a manter o sistema imunológico em momentos de estresse. Muitas vezes, esquecemos
  • Gerencie suas prioridades: concentre sua atenção e energia em atividades que realmente são importantes. Assim, você conseguirá remanejar o seu tempo e não ficará sobrecarregada(o).
  • Gerencie o seu tempo: tenha uma agenda ou qualquer outra ferramenta que ajude a gerenciar o seu tempo e atividades. 
  • Respiração e relaxamento: meditação, massagem e ioga podem ajudar. As técnicas de respiração e relaxamento podem diminuir a frequência cardíaca e promover o relaxamento. A respiração profunda também é uma parte central da meditação da atenção plena.
  • Converse com alguém: compartilhar sentimentos e preocupações com a família, amigos e colegas de trabalho pode te ajudar, pois reduz o sentimento de isolamento. Além disso, soluções inesperadas para gerenciar o seu estresse podem surgir de outras pessoas.
  • Reconheça os sinais: autoconhecimento é fundamental para a nossa saúde mental e ajuda a prevenir e amenizar o estresse crônico, pois, por meio dele, conseguimos identificar aquilo que nos faz bem e as situações que podem ser gatilho para o problema.

    Um instrumento bastante útil para reconhecer as nossas emoções e praticar auto conhecimento é o Diário de Emoções. Com ele, você conseguirá analisar aquilo que te faz mal e possíveis gatilhos que desencadeiem o estresse.
    Clique aqui para baixar gratuitamente o Diário de Emoções que preparamos para você.

Pra você saúde mental e psicólogas(os) ainda são um tabu?

Vamos mudar isso! Caso você esteja sentindo algo ou precise conversar com alguém, fale com a Amparo Saúde! Temos um time de especialistas em saúde mental prontos para te acolher, ouvir e te ajudar a ter mais saúde mental e qualidade de vida. Nossas(os) psicólogas(os) e médicas(os) de família atendem via telemedicina com total sigilo no conforto e segurança da sua casa.

A Amparo Saúde está ao seu lado!

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Não vá embora! A informação é a nossa maior arma contra o vírus! Confira os artigos que separamos especialmente para você.

 Depressão tem tratamentoSaiba mais sobre essa doença. 

 Infarto: entenda os sinais que seu corpo dá antes de um ataque cardíacoClique aqui.

 Teste de gravidez caseiro funciona? Confira essa e outras dúvidas. Clique aqui.

 AIDS/HIV: O que é PrEP e porque ela salva milhares de vidas. Clique aqui.