banner01

Infarto: entenda os sinais que seu corpo dá antes de um ataque cardíaco

Sinais do infarto: Mulher idosa se apoia no marido levando a mão ao peito

Apesar de acometer o coração, os sinais prévios de um ataque cardíaco nem sempre vêm desse órgão. Antes de infartar, o corpo envia sinais. E esses sinais podem ser percebidos com até meses de antecedência. 

Desmaios, formigamentos, náuseas e tonturas são os mais comuns. Mas mantenha a calma! Não é porque sentiu algum desses desconfortos que você vai infartar. Vamos falar sobre isso logo abaixo.

Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) mostram que, somente em 2021, mais de 216 mil pessoas morreram em decorrência de doenças cardiovasculares no Brasil. É possível até acompanhar em tempo real as mortes por doenças cardiovasculares no país pelo site Cardiômetro.

O que é o infarto

O infarto agudo no miocárdio, conhecido popularmente como ataque cardíaco, ocorre quando o fluxo de sangue que é levado ao coração pelas artérias coronárias é interrompido, o que causa lesões no músculo cardíaco. 

Geralmente esse bloqueio é causado por acúmulo de gordura, colesterol e outras substâncias nas artérias coronárias e pode ser total ou parcial. Esse processo de acúmulo de gordura e estreitamento das artérias é chamado de doença arterial coronariana.

O princípio de um infarto no coração é muito parecido com o AVC: sem o sangue irrigando uma região do órgão, as células ficam sem oxigênio e morrem, causando danos nos tecidos. Na verdade, o Acidente Vascular Cerebral é, falando de maneira simples, um “infarto no cérebro”. 

A Organização Mundial da Saúde estima que em 2016, quase 18 milhões de pessoas no mundo morreram de doenças cardiovasculares, sendo desses 85% infartos e AVCs.

Como eu sei que estou infartando?

Apesar de estar associado a dores no peito e formigamento no lado esquerdo do corpo, outros sinais podem acender o sinal de alerta, como dor no estômago ou nas costas, mal estar, enjôo e tonturas, alteração na respiração e tosse seca, por exemplo. 

Esses sintomas parecem comuns no dia-a-dia de quem convive com alguns tipos de doenças, mas  é importante estar atento sempre na intensidade do desconforto. É isso que determina o que está para acontecer.

Ao suspeitar que esteja infartando, ligue para seu médico o mais rápido possível. Ou para o serviço de emergência local. Profissionais sérios e preparados estarão à disposição para atendê-lo.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Os diferentes sintomas em homens e mulheres

Os sinais listados acima são clássicos e podem acometer pessoas de qualquer sexo. Porém, entre os homens, é mais comum que o infarto seja percebido por uma pressão no peito.

Já nas mulheres, os sintomas são mais variados e podem ir desde um desconforto no peito até a sensação de peso em um dos braços. 

Quais são as principais complicações do infarto?

As complicações geralmente estão relacionadas aos danos causados ​​ao coração durante um ataque cardíaco:

Arritmias: são causadas por "curto circuitos" no coração que podem alterar o ritmo dos batimentos cardíacos. Algumas arritmias podem ser graves e levar à morte.

Insuficiência cardíaca: um ataque cardíaco pode danificar tanto o tecido cardíaco que o músculo cardíaco restante não consegue bombear sangue suficiente para fora do coração. A insuficiência cardíaca pode ser temporária ou pode ser uma condição crônica resultante de danos extensos e permanentes ao coração.

Parada cardíaca súbita: o mesmo distúrbio elétrico que causa a arritmia pode parar o coração provocando uma morte súbita.

Fatores de risco para o infarto

Você provavelmente já conhece ou já ouviu falar de alguns dos fatores de risco para o infarto. Afinal, eles também são fatores de risco para outras doenças. 

Por isso, o blog da Amparo Saúde vai fazer diferente: vamos explicar de maneira simples porque esses fatores são de risco. 

  • Diabetes: segundo o HCor de São Paulo, o diabetes facilita o processo de acúmulo de gordura nas artérias do coração, cérebro e pernas. Ainda segundo a instituição, o risco de um diabético ter um infarto é 40% maior em homens e 50% em mulheres.

Por isso, é fundamental controlar o seu diabetes para diminuir o risco de infarto e outras doenças. 

  • Tabagismo: assim como o diabetes, fumar facilita e acelera o acúmulo de gordura nas artérias e a formação de placas perigosas de gordura que é um dos estopins do infarto.
  • Pressão alta: em uma pessoa hipertensa, por conta do aumento da pressão da corrente sanguínea, o coração precisa trabalhar mais para bombear o sangue e isso faz com que as paredes das artérias engrossem para aguentar a pressão.
    Com paredes mais grossas, o espaço para a circulação do sangue diminui.
  • Colesterol e triglicérides elevados: o excesso de colesterol LDL (o colesterol ruim) e triglicérides, um tipo de gordura presente no sangue, aumenta a probabilidade deles se depositarem nas artérias, o que pode causar um infarto.

Além disso, outros fatores de risco importantes são:

  • Idade: Homens acima de 45 anos e mulheres acima de 55 anos têm uma probabilidade maior de terem um ataque cardíaco quando comparados a pessoas mais jovens. No Brasil, estudos apontam que mulheres têm uma probabilidade 50% maior de morrerem de infarto.
  • Histórico familiar:  segundo alguns estudos, se os seus irmãos, pais e avós e outros parentes de 1º grau tiveram infartos precoces (com menos de 50 anos) você tem um risco maior de sofrer com o problema.
  • Estresse: além do estresse crônico que é prejudicial ao sistema cardiovascular e o deixa mais vulnerável aos infartos e AVCS, também existem os picos de estresse repentinos que são responsáveis por 15% dos casos de infarto, segundo o HCor. 

É possível evitar o infarto?

A resposta é simples e direta: sim. Cuidar do coração é cuidar de todos os nossos órgãos, pois é ele que bombeia o sangue e nos alimenta internamente.

Para reduzir o risco de doenças cardiovasculares, é importante ter uma rotina saudável e focada no bem-estar: evitar momentos de estresse, fazer exercícios físicos regularmente, abandonar o tabagismo, não consumir álcool em excesso, manter seu peso ideal, melhorar a qualidade do sono, ter uma alimentação saudável e controlar, sempre, a pressão arterial, o colesterol e a diabetes.

Preparamos uma lista de artigos do Blog da Amparo Saúde sobre hábitos de vida mais saudáveis. Confira:

  Quer parar de fumar? Veja como abandonar o cigarro de uma vez por todas.

  Higiene do sono: dicas infalíveis para acabar com a insônia

  Uso de bebidas alcoólicas aumenta durante o isolamento social

  O que é obesidade? Precisamos falar sobre o assunto

  É hipertenso? Que tal apostar em uma dieta sem sal?

Na Amparo Saúde, além de ter o médico de família para te acompanhar de perto a rotina e sugerir melhorias, também há supervisão e atendimento de toda a equipe de saúde, com profissionais de nutrição e psicologia, que garantem um cuidado 100% dedicado ao paciente, presencialmente ou por telemedicina.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail