banner01

Veja qual o significado de saúde para a OMS

Um grupo de pessoas com máscaras de proteção no rosto caminha pela rua

Saúde é um dos maiores desejos de todas as pessoas. Afinal, é o elemento estrutural,  ponto de partida necessário para que possamos alcançar outros desejos: felicidade, sucesso profissional, amor, realizações. 

Mas você já parou para pensar o que é saúde? 

Uma resposta fácil seria que saúde é a ausência de doenças, ou seja, um corpo são e saudável. O conceito de saúde mudou ao longo dos anos, acompanhando a evolução da sociedade.

É sobre isso o artigo do blog da Amparo Saúde de hoje.

Com o avanço da medicina, das condições sanitárias, da vacinação e do índice de desenvolvimento humano (IDH) no último século, a expectativa de vida do ser humano alcançou níveis nunca antes vistos.

Em alguns países, como o Japão, já é considerável a quantidade de supercentenários, pessoas com mais de 110 anos, algo inimaginável algumas décadas atrás. 

Citando o Brasil como exemplo, segundo o IBGE a expectativa de vida da população passou de 66 anos, em 1990, para 76,6 anos, em 2019.

Com isso, mudamos um paradigma de milênios: se antes as principais causas de mortes eram doenças infecciosas (pneumonia, viroses e outras doenças) e acidentes, hoje, doenças relacionadas à qualidade de vida e ao envelhecimento, como hipertensão, Alzheimer, diabetes, obesidade e alguns tipos de cânceres causam mais mortes, sobretudo, nos países desenvolvidos. 

Hoje em dia, com as condições básicas de sobrevivência garantidas, nosso objetivo passa a ser outro, ou seja, nos preocupamos em saber como viver mais e melhor.  

Pensando nisso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar a saúde como algo mais amplo. Para o Órgão, saúde é “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades”. 

É fundamental, então, além de um corpo são e livre de doenças, uma mente livre de sofrimento psíquico e um sujeito social dotado das mais básicas condições para que ele se desenvolva, como liberdade, segurança alimentar e educação. 

14_ILUSTRAÇÃO (1)

 

Saúde social

A pandemia da Covid-19 escancarou o abismo social brasileiro, mostrando como um Sistema de Saúde bem-sucedido só é possível quando caminha junto a redução da pobreza e da desigualdade. 

Apesar de muito se dizer que o vírus é democrático, ou seja, que pode ser contraído por qualquer pessoa, a chance de sobrevivência e o acesso a hospitais, médicos e medicamentos revelam o contrário. 

Segundo dados da Prefeitura de São Paulo, em março de 2021 a prevalência de Covid-19 nas regiões com IDH alto na cidade de São Paulo era de 20,1%. Enquanto isso, nas regiões com ID baixo é de 28,8%. 

Ainda segundo este relatório, a prevalência de Covid-19, entre pessoas que estão saindo de casa para trabalhar é estimada em 70,6%. Já para quem não está saindo de casa (muito provavelmente trabalhando por home office) e está conseguindo seguir as medidas de segurança, como o distanciamento social, a prevalência é de 15,1%.

Os dados dessa pandemia histórica que se desenrola diante de nós servem como exemplo da importância de se pensar em saúde de maneira integral, como propõe a OMS e como a Amparo Saúde faz.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Saúde Mental

O segundo aspecto dessa tríade é a saúde mental, essencial para que uma pessoa seja considerada saudável. 

Ela contempla a ausência de transtornos psiquiátricos e psicológicos (como estresse, ansiedade e depressão) e boa capacidade cognitiva.

O Brasil é o país mais ansioso e estressado da América Latina, conforme dados da Organização Mundial da Saúde de 2018, com 5,8% dos habitantes sofrendo de depressão e 9,3% de ansiedade. 

A tendência é que esses números aumentem, à medida que nosso estilo de vida está cada vez mais agitado e com menos interação presencial.

Novamente, a pandemia fez agravar esse quadro, pois o isolamento social, o medo da Covid-19 e do desemprego e a instabilidade socioeconômica estão contribuindo para aumentar o sentimento de desemparo na população.

Em maio, de acordo com levantamento da Área de Inteligência de Mercado do Grupo Abril, 70% das pessoas – em uma amostra de 4.693 indivíduos– estavam com medo do desemprego e da segurança de seus familiares.

Saúde Física 

A saúde física é o último pilar fundamental para uma saúde plena. Ela é a ausência de quaisquer enfermidades que prejudiquem a qualidade de vida do sujeito, bem como suas relações pessoais e de trabalho, e é indissociável dos outros pilares. 

Nesse sentido, observamos no Brasil várias mudanças comportamentais, culturais e demográficas, como o aumento da obesidade na população e a maior ocorrência de doenças crônicas, como diabetes, e relacionadas à idade, como Alzheimer. 

Assim, mostra-se cada vez mais necessário investir em programas de prevenção e promoção de saúde, como o Saúde da Família, de modo que doenças sejam evitadas pela informação, integração entre profissionais de diferentes áreas e contato humano entre agentes de saúde e a população.

Atenção Primária à Saúde: um jeito novo de pensar a saúde

Essa integração, ou melhor, a falta dela é alvo de muitas críticas.

Durante os últimos anos, tivemos um grau de especialização nas diferentes áreas da Medicina que fez com que essa visão holística, na prática, ficasse muito aquém do esperado. 

Apesar de ser necessária e natural a especialização cada vez maior do profissional em sua área de estudo, é importante sempre enxergar o paciente como um ser único, social e com suas próprias demandas e particularidades, e não apenas como portador de uma doença que deve ser curada. Isso é saúde!

Por isso, a Amparo Saúde foi criada em 2017. Por meio da Atenção Primária à Saúde, somos uma nova maneira de cuidar da sua saúde: contínua, integral e para toda a vida.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail