banner01

É possível prevenir a osteoporose? Entenda tudo a doença

Mulher idosa abraçando uma menina enquanto as duas sorriem

A osteoporose é uma condição que afeta os ossos e atinge, segundo o Ministério da Saúde, 10 milhões de pessoas de Brasil, causando grande perda da qualidade de vida. Neste artigo do blog da Amparo Saúde você entenderá um pouco mais sobre a doença, quais os fatores de risco, como prevenir o seu surgimento e muito mais. Confira!

Antes de tudo é importante entender como são os nossos ossos internamente e porque a doença se desenvolve.

Ao contrário do que pensamos, nossos ossos não são maciços, mas têm a aparência de um favo de mel com pequenos espaços internos. A osteoporose ocorre quando esses espacinhos aumentam de tamanho por conta da dificuldade do nosso organismo de fixar o cálcio - que é o mineral que forma os nossos ossos - fazendo com que o osso perca força e densidade e fique mais “fino”.  Esse processo fragiliza os ossos, tornando-os mais suscetíveis a fraturas.

A osteoporose pode ocorrer em pessoas de qualquer idade, mas é mais comum em adultos mais velhos, especialmente mulheres. Segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), 200 milhões de pessoas convivem com a osteoporose no mundo, a maioria, mulheres, causando fraturas e diversas complicações.

Pessoas com osteoporose correm um alto risco de fraturas ósseas durante atividades rotineiras, como ficar em pé, tossir, caminhar e receber um abraço apertado, sendo que os ossos mais comumente afetados são as costelas, os quadris e os ossos dos pulsos e da coluna.

A osteoporose tem sintomas?

Os estágios iniciais da osteoporose não causam nenhum sintoma ou sinal de alerta, fazendo com que o diagnóstico aconteça quando a doença já está avançada ou quando algum acidente ou fratura acontece. Ou seja, na maioria dos casos, as pessoas com osteoporose não sabem que têm a doença até sofrerem uma fratura. 

Segundo dados da Associação Brasileira da Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso), só 20% das pessoas com osteoporose recebem o diagnóstico. 

É importante dizer que, mesmo se você não tiver sintomas, mas tem histórico familiar de osteoporose, converse com seu médico de família. Este profissional avaliará o seu risco de desenvolver a doença. E fique atenta(o) a alguns fatores de risco como explicaremos a seguir.

Fatores de risco da osteoporose

Antes de começar a falar sobre os fatores de risco para a osteoporose, é importante explicar o que são fatores de risco. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), os fatores de risco são fatores genéticos e ambientais que estão associados ao aumento da probabilidade de se desenvolver uma doença.

Além disso, o mesmo fator pode ser um fator de risco para diferentes doenças. Por exemplo, a obesidade é fator de risco para Acidente Vascular Cerebral e para diabetes. Ou o alcoolismo é fator de risco para diversos tipos de câncer. Dito isso, entenda quais são os fatores de risco para a osteoporose:

  • Idade: o maior fator de risco da osteoporose é a idade. Ao longo de sua vida, seu corpo quebra o osso velho e cresce o osso novo. Contudo, quando você está na casa dos 30 anos, seu corpo começa a quebrar o osso mais rápido do que é capaz de substituí-lo, tornando-o osso menos denso, mais frágil e mais propenso a quebrar.
  • Menopausa: a menopausa é outro fator de risco primário, que ocorre em mulheres com idades entre 45 e 55 anos, pois, por conta da diminuição dos níveis de estrogênio (um dos principais hormônios femininos) o ritmo de remodelação dos ossos cai e eles podem ficar menos densos. Estima-se que na fase pré e pós menopausa, as mulheres percam cerca de 10% da massa óssea. Isso é bastante coisa!

Os homens também costumam perder ossos nessa idade, mas em um ritmo mais lento do que as mulheres. Porém, quando atingem as idades de 65 a 70 anos, ambos os sexos geralmente perdem osso no mesmo ritmo.

Outros fatores de risco para osteoporose incluem:

  • Ser branco ou asiático
  • Ter um histórico familiar de osteoporose
  • Ter uma alimentação deficiente
  • Ser mulher
  • Sedentarismo ou inatividade física
  • Tabagismo
  • Baixo peso corporal
  • Baixa exposição ao sol

É importante dizer que ter um ou mais fatores de risco não significa que você desenvolverá a osteoporose.. Significa apenas que as suas chances de desenvolver a doença, quando comparamos com pessoas que não têm esses fatores, são maiores.

Como prevenir a osteoporose

Você pode controlar alguns desses fatores de risco para osteoporose, como má nutrição e inatividade, melhorando a sua dieta e fazendo exercícios físicos. Porém, você não pode controlar outros fatores de risco, como idade ou sexo.

Algumas das melhores maneiras de prevenir a osteoporose incluem:

  • Consumir alimentos ricos em cálcio, como leite e folhas escuras.
  • Se expor ao sol: isso estimula a produção de vitamina D que é responsável pela incorporação do cálcio nos ossos.
  • Fazer exercícios de força, como levantamento de peso e musculação. (sempre com supervisão de um profissional de educação física) 
  • Parar de fumar 

Se você corre o risco de desenvolver osteoporose, converse com seu médico sobre a melhor maneira de preveni-la.

Como é feito o diagnóstico da osteoporose

Para verificar se você tem osteoporose, o seu médico revisará seu histórico médico e fará um exame físico. Além disso, exames de sangue e urina também podem ser necessários para identificar condições que possam causar perda óssea.

Se o seu médico achar que você pode ter osteoporose ou corre o risco de desenvolvê-la, ele pode sugerir um teste de densidade óssea, exame que utiliza raios-X para medir a densidade dos ossos em nos pulsos, quadril ou coluna, áreas com maior risco de osteoporose. Este teste é indolor e pode levar de 10 a 30 minutos.

Lembrando que essas recomendações são gerais. Converse com o seu médico de família para avaliar quais exames e cuidados são necessários e qual a periodicidade ideal antes de sair fazendo vários exames.

Você procura atendimento de saúde apenas quando está doente?

Saiba que esse não é o melhor jeito de manter a sua saúde em dia. Para ter mais qualidade de vida e saúde a longo prazo, o ideal é manter uma relação de confiança, transparência e proximidade com uma médica(o) de família ou profissional de saúde de sua confiança. 

Na Amparo Saúde, nossos times de saúde formados por médicas(os) de família, enfermeiras(os) e auxiliares de enfermagem enxergam os pacientes como um todo para criar programas de saúde personalizados de acordo com a necessidade de cada um deles. Assim, garantimos mais saúde e bem-estar por toda a vida.