banner01

O que são carboidratos: vou emagrecer se tirar esse item da dieta?

Muitas pessoas já escutaram por aí que cortar carboidratos emagrece. A informação não é incorreta, já que cortar carboidratos da alimentação pode até trazer um emagrecimento rápido. Mas esse comportamento não se sustenta a longo prazo e pode resultar em sérios prejuízos à saúde.

O carboidrato é uma das principais fontes de energia da alimentação humana. Ele compõe de 55% a 75% do valor energético total que o organismo necessita para se manter em atividade e está presente em diversos alimentos, como pães, massas, arroz, frutas e legumes.

Além do fornecimento de energia, os carboidratos são essenciais para a saúde, pois são responsáveis por várias funções metabólicas. 

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Então, a resposta é não. Você não deve cortar carboidratos para perder peso. Mas deve, sim, melhorar a qualidade do alimento consumido. Uma alimentação saudável é aquela baseada em proteínas, lipídios, vitaminas, fibras e minerais, além do equilíbrio dos dois tipos de carboidratos:

  1. Baixa quantidade de carboidratos simples, que são os alimentos refinados, como açúcar de mesa, refrigerantes e sucos artificiais, doces e guloseimas em geral.
    O consumo  excessivo dessa turma está relacionado ao aumento de doenças crônicas não transmissíveis e ao ganho de peso. Confira o nosso artigo "O que é dieta anti-inflamatória".
  2. Consumo regular de carboidratos complexos, que são os alimentos não-refinados, conhecidos como “carboidratos limpos”. Fazem parte dessa classificação os cereais, de preferência os integrais, tubérculos, raízes e fibras alimentares.
    Eles são fontes de energia, vitaminas do complexo B e de ácidos graxos essenciais, além de fornecerem grandes benefícios à saúde humana. Essa combinação é indispensável para o funcionamento saudável do organismo e garante 45% a 65% da energia total da alimentação. 

A absorção dos carboidratos acontece nas células do intestino delgado e é realizada após hidrólise (“quebra”) das moléculas de carboidratos em moléculas menores, por meio de reações enzimáticas.

Após a absorção, a glicose presente no sangue sofre um aumento e com isso, há uma liberação maior de insulina pelas células pancreáticas para estimular a captação de glicose.

Os carboidratos complexos (os cereais, tubérculos e raízes) são formados por cadeias mais complexas de açúcares, tendo a digestão e a absorção mais prolongadas.

Já os carboidratos simples (os açúcares), por conterem uma estrutura química simples, são mais facilmente digeridos e mais rapidamente absorvidos. Sendo assim, o excesso do consumo de carboidratos simples levam à hiperglicemia e hiperinsulinemia pós-prandial, ou seja: desenvolvimento de diabetes e obesidade.

Mesmo para diabéticos não é recomendado a exclusão de carboidratos da dieta. Mas sim a melhora da qualidade da alimentação. Priorizando incluir carboidratos complexos, principalmente os integrais e frescos, e reduzindo a quantidade de carboidratos simples, como açúcares de mesa, doces em geral, processados e etc. 

Com exceção das carnes, dos óleos, das gorduras e do sal, todos os grupos alimentares possuem carboidratos na sua composição. Se essa quantidade for alta, pode-se considerar o alimento como fonte de carboidratos. Por isso é muito importante consultar um nutricionista e  ter uma dieta bem constituída, assim, é possível perder peso e evitar o surgimento de comorbidades, como hipertensão, diabetes ou obesidade. 

Gostou do artigo? Na Amparo Saúde temos uma equipe de nutricionistas especializados em enxergar o paciente como um todo para aumentar a sua qualidade de vida. Nossos especialistas criam ações personalizadas para as suas necessidades, seja presencialmente ou por telemedicina.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Fontes

https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/biologia/metabolismo-dos-carboidrato

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. –  Brasília: Ministério da Saúde, 2008. 210 p.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Manual de nutrição: profissional da saúde. São Paulo: SBD. Disponível em: https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/pdf/manual-nutricao.pdf