banner01

Para que serve o papanicolau? Entenda porque esse exame salva vidas

Vamos começar este artigo falando diretamente: você deve fazer o exame de papanicolau porque ele é preventivo! Além disso, é a principal forma de rastrear o câncer de colo do útero.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Brasil tem cerca de 16 mil novos casos de câncer de colo de útero por ano. E quase todos são decorrentes de uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) pelo papilomavírus humano (HPV), que atinge a pele ou as mucosas. Então, se você tem uma vida sexual ativa, deve consultar seu médico de confiança e realizar o exame na periodicidade indicada

O que é o exame papanicolau

O papanicolau é um exame ginecológico de extrema importância, no qual são retiradas células do colo do útero, parte inferior do órgão onde ele se encontra com a vagina, para detectar alguma alteração que possa indicar um câncer cervical, ou câncer de colo de útero.

Muitas meninas que estão começando o seu acompanhamento ginecológico se perguntam se este exame dói. A resposta é não. Papanicolau não dói.

No Brasil é recomendado pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) que todas as mulheres entre 25 e 64 anos e que já tiveram relações sexuais façam o exame. Recomenda-se também que o exame seja repetido a cada 3 anos, após 2 exames normais consecutivos realizados em um intervalo de 1 ano.

Como é feito o papanicolau?

A coleta é simples e rápida. Com o auxílio de um espéculo (um acessório que lembra o bico de um papagaio), a ginecologista colhe uma pequena quantidade de material do colo do útero para posterior análise em laboratório.

Após o laudo, é possível observar se há anomalias. Caso diagnosticadas, a profissional distingue se as alterações são benignas, se são apenas lesões que devem ser tratadas para que não haja complicações futuras ou, ainda, se são prováveis tumores. Em alguns casos, são solicitados testes mais detalhados antes de um diagnóstico final.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Confira outros artigos do blog sobre saúde da mulher:

  Teste de gravidez caseiro funciona? Confira essa e outras dúvidas

  Saiba tudo sobre candidíase: causas, prevenção e tratamento

  Por que a infecção urinária é mais comum em mulheres?

   3 dicas valiosas para quem sofre de enxaqueca

HPV e câncer do colo do útero

Na maioria das vezes, os portadores do HPV não apresentam sintomas. E por isso o exame preventivo é tão importante. 

É importante esclarecer que pessoa infectada sempre será um vetor da doença. E apesar de não existir tratamento específico para eliminar o HPV do organismo, é possível ter uma vida normal portando o vírus.

De modo geral, as infecções por HPV são controladas pelo próprio sistema imunológico e expelidas pelo organismo, mas existem casos em que a infecção é persistente e evolui para um tumor maligno. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), existem mais de 100 tipos de HPV, dos quais pelo menos 14 são cancerígenos (também conhecidos como tipos de alto risco).

Em muitos países - e o Brasil é um deles - existem vacinas que protegem contra o HPV. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), podem se vacinar meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Mas atenção: tomar a vacina não substitui a necessidade de acompanhamento para triagem do câncer do colo do útero. Consulte sempre seu médico!

A importância do cuidado com a saúde da mulher

O atendimento integral da mulher, observando os fatores de risco, a prevenção de doenças e a promoção do bem-estar e da qualidade de vida, são premissas do Médico de Família.

Ao se especializar em medicina de família, o profissional passa a ter propriedade para resolver a maioria das demandas de ginecologia e obstetrícia, hipertensão e diabetes, pediatria e pré-natal. 

Na Amparo Saúde, o paciente é atendido por um Médico de Família e uma equipe de enfermagem dedicados em conhecer todo o seu histórico de saúde e, assim oferecer um cuidado personalizado, presencial e à distância. Fazemos orientação quanto ao planejamento familiar, acompanhamos o pré-natal, colocamos DIU, rastreamos câncer de colo de útero e de mama.

Quando nos deparamos com casos que necessitam de cuidados mais específicos, como endometriose, miomas maiores e sangramentos uterinos intensos, encaminhamos para um outro especialista dar continuidade no caso, mas não deixamos de acompanhar também.

Ter um médico de família e uma equipe de enfermagem dedicados em conhecer todo o seu histórico de saúde e, assim, oferecer um cuidado personalizado, presencial e à distância garante um vínculo maior entre a paciente e os profissionais. 

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail