banner01

3 dicas valiosas para quem sofre de enxaqueca

Uma mulher colocando as mãos na cabeça com uma expressão de dor

A enxaqueca crônica é uma condição neurológica incapacitante que afeta 2% da população em geral, sendo as mulheres 75% dos atingidos. 

Apesar de muitas pessoas aprenderem a viver com a enxaqueca, ela não é normal e deve ser investigada e tratada. Você sofre com enxaqueca? Então esse artigo é para você.

Existem vários tipos de dores de cabeça, sendo a enxaqueca um dos tipos mais comuns. 

O diagnóstico da enxaqueca é clínico, ou seja, feito com base no conjunto de características observadas pelo médico. 

Confira as principais:

 

Duração das crises

 

Quando não tratadas, as crises duram de 4 a 72 horas

 

Tipo de dor

 

Pulsátil (latejante), na maioria das vezes

 

Intensidade da dor

 

Quando não tratada, a intensidade da dor é moderada ou forte.

 

Fatores de agravamento

 

Movimentos súbitos ou inclinação da cabeça e esforços físicos ou mentais.

 

Fatores de melhora

 

Depende de cada paciente, mas, no geral, medicação adequada e mudanças de hábito ajudam no tratamento da enxaqueca.

 

Fenômenos e sinais que acompanham a enxaqueca

 

Intolerância à luz (fotofobia), aos ruídos (fonofobia) e aos odores (osmofobia), além de náusea, vômito e aura.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cefaleia

3 dicas valiosas para quem sofre de enxaqueca

1 - Faça um Diário da Dor

Quando você estiver com uma crise de enxaqueca, faça um diário com anotações sobre: intensidade da dor, duração da crise, fase do ciclo menstrual e o que você comeu nas horas anteriores ao início da dor.

Com essas informações preciosas o seu neurologista vai conseguir entender melhor as possíveis causas da sua enxaqueca.

Acredite, essa dica ajuda muito quem sofre com a doença. Faça o seu diário e depois compartilhe o resultado.

Leia também: Consulta por Telemedicina é mais "fria"? Confira mitos e verdades sobre essa nova modalidade de saúde. 

2 -  Cuidado com os analgésicos

Para quem sofre de enxaqueca, tomar analgésico sem prescrição médica para diminuir a dor, além de mascarar o problema, pode piorar a intensidade e duração das crises.

A dor é um sinal do nosso corpo de que algo está errado. Por isso, procure sempre um médico.  Confira nosso artigo sobre os perigos da automedicação.

3 - Fique de olho nos sinais

Sensação de cabeça pesada, inchaço nos olhos e irritabilidade são alguns sinais enviados pelo corpo antes de uma crise de enxaqueca.

Além disso, algumas pessoas também apresentam os chamados fenômenos neurológicos transitórios, conhecidos como aura.

A aura é um fenômeno complexo que inclui alterações visuais (luzes piscando, visão embaçada, visão de túnel e linhas em ziguezague são os mais frequentes).

Entretanto, é importante dizer que nem toda pessoa com enxaqueca apresenta aura.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Gatilhos

A experiência dos médicos nos consultórios e os relatos da maioria das pessoas que sofrem de enxaqueca demonstram que fatores ambientais podem desencadear uma crise. São os chamados gatilhos.

Os principais gatilhos da enxaqueca relatado em estudos são:

  • Exposição à luz intensa: Mais frequentemente luz solar, mas também luzes piscantes, como um farol de carro piscando ou reflexos em vidros e janelas;
  • Ruídos: barulho de tráfego, vozes e outros ruídos ambientais;
  • Mudanças no tempo: chuva, frio, calor excessivo, entre outras condições de tempo, podem influenciar e desencadear enxaqueca;
  • Estímulos visuais de ambiente interno: tela do computador, celular, reflexos e lâmpadas intensas;
  • Odores: Mais de 40% das pessoas com enxaqueca citam odores como desencadeadores das crises, segundo estudo de 2009;
  • Qualidade do ar e cheiro de cigarro: Um ar poluído e o cheiro de cigarro são citados por pessoas como gatilhos da enxaqueca.
  • Alimentos: Alguns alimentos podem piorar ou desencadear uma crise de enxaqueca, como café, embutidos, chocolate e muito temperados.

 

20_ILUSTRAÇÃO

Apesar de serem amplamente relatados por médicos e pacientes, os estudos que comprovem a relação entre gatilhos e enxaqueca ainda são escassos.

Como a Amparo Saúde pode ajudar você com as crises de enxaqueca

A enxaqueca é uma doença complexa e o seu tratamento, na maioria das vezes, é multidisciplinar, ou seja, depende de um conjunto de ações e profissionais para melhorar a qualidade de vida do paciente e diminuir a frequência ou intensidade das crises.

Por exemplo, pode ser necessário o acompanhamento de um nutricionista, caso a crise tenha os alimentos como gatilho ou o acompanhamento com um profissional da psicologia, caso as crises tenham afetado a saúde mental do paciente.

Na Amparo Saúde, por meio da Atenção Primária à Saúde, nossas equipes enxergam o paciente como um todo, aspectos físicos, mentais e sociais, tudo isso para promover ações de melhoria da qualidade de vida do paciente. 

Além disso, acompanhamos o paciente ao longo do tempo, presencialmente ou por telemedicina, e com o seu histórico de saúde conseguimos trazer mais qualidade de vida e bem-estar. 

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Fontes:

(https://headachejournal.onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1526-4610.2009.01443.x#b62

https://sbcefaleia.com.br/noticias.php?id=6