banner01

O que é melasma? Veja como tratar esse problema que incomoda muitas mulheres

Este artigo está sendo publicado no dia 01 de dezembro de 2021 e estamos às vésperas do verão, a estação mais quente do ano, na qual ficamos mais expostos ao ar livre e aos efeitos do sol e de outros fatores na nossa pele. Por conta desta exposição e também de fatores sociais, como a pressão estética, muitos de nós, sobretudo, as mulheres começam a dar mais atenção à aparência nesta época do ano.

Por isso, o tema do artigo de hoje é um dos mais buscados nos sites de busca e que está intrinsecamente relacionado à pele, verão e tratamentos estéticos: o melasma.

Você sofre com esse problema ou conhece alguém que sofre? Então confira o artigo que preparamos com os nossos especialistas sobre as causas e possíveis tratamentos do melasma. Leia e compartilhe.

O que é melasma

A pele é um dos órgãos mais importantes do corpo, pois o protege das agressões externas, como se fosse uma capa de proteção contra vírus, bactérias,  produtos físicos, além de muitas outras funções, como ajudar na regulação da temperatura. 

Por essa importância, esse órgão é repleto de estruturas, camadas e células, cada uma com uma função específica, dentre elas, os melanócitos, células produtoras de melanina, o pigmento da pele, que se localizam na epiderme, camada mais superficial com contato direto com o ambiente.

A melanina é um hormônio muito importante para nós pois, além de pigmentar a nossa pele, também nos protege contra a radiação ultravioleta que vem do sol, absorve calor e nos proteger dos radicais-livres.  

E é justamente nessa relação entre produção de melanina pelos melanócitos. O melasma são manchas castanhas que surgem na pele - a chamada hiper pigmentação - que, apesar de serem esteticamente incômodas, não causam nenhuma doença ou alteração interna que seja motivo de preocupação. 

O melasma atinge mais as mulheres do que os homens e, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, está relacionado à gravidez,  uso de anticoncepcionais e à exposição aos raios ultravioletas. Por isso, há casos de melasma que surgem durante a gravidez (época de grandes alterações hormonais e desesparem com o tempo. Ainda segundo a entidade, os raios ultravioletas são os fatores desencadeantes e podem agravar o melasma. 

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Melasma é mais comum no rosto?

Sim, de acordo com a Harvard Medical School, o melasma atinge, principalmente, o rosto na região da testa, bochechas e lábios superiores e as manchas costumam aparecer em ambos os lados do rosto, em padrões quase idênticos. Os tons de marrom podem variar de marrom claro ou profundo. 

Como o melasma é diagnosticado?

O exame visual da área afetada feito por um profissional costuma ser suficiente para diagnosticar o melasma. Mesmo assim, para descartar outras causas específicas, outros exames e testes complementares podem ser necessários.

Uma técnica de teste é o exame da lâmpada de Wood, que atinge a pele e permite que o profissional de saúde verifique se há infecções bacterianas e fúngicas na mancha e determine quantas camadas da pele o melasma afeta. Em casos mais raros, para verificar se há problemas de pele mais graves, é realizada uma biópsia, procedimento que envolve a remoção de um pequeno pedaço da pele afetada para testes em laboratório.

Veja também: Consulta por telemedicina é mais "fria"? Clique aqui e entenda melhor.

Como tratar o melasma

Para algumas mulheres, o melasma desaparece por conta própria, sobretudo quando o problema é consequência da gravidez ou do uso de pílulas anticoncepcionais.

Além disso, existem duas opções de tratamento mais indicadas para o melasma: cremes clareadores de manchas e esteroides tópicos que também têm efeito clareador. Se nenhuma das opções funcionar, peelings químicos , dermoabrasão e microdermoabrasão são opções possíveis. Com esses tratamentos as camadas mais superficiais da pele são retiradas, o que pode ajudar a clarear manchas escuras. Em muitos casos, é indicada uma abordagem multimodal de tratamento com diferentes técnicas e estratégias para minimizar ou eliminar o melasma.

Esses procedimentos não garantem que o melasma não volte, e alguns casos, as manchas não conseguem ser clareadas totalmente. Para que as manchas não aumentem ou retornem é necessário o acompanhamento de um profissional de saúde, uso de alguns produtos cosméticos e medidas de proteção contra os raios ultravioletas do sol, como o uso de protetores solares e a não exposição nos horários mais quentes do dia.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail