banner01

Protetor solar e câncer de pele: como escolher o ideal para a sua pele?

“Vem chegando o verão… O calor no coração”.. Já diz a música, o verão está chegando e todos queremos aproveitar o sol, piscina e praia para socializar, relaxar e desfrutar do tempo livre com a família e amigos. As faixas de areia vão ficando mais cheias à medida que os dias quentes e o sol ficam mais fortes. 

Sol é vida e pegar um pouco de sol diariamente faz bem para a saúde e é recomendado por médicos e especialistas. Porém, como tudo na vida, existem dois lados nessa moeda. O excesso de sol pode causar problemas como envelhecimento precoce, ressecamento da pele manchas, melasma, queimaduras e câncer de pele, o tipo de câncer mais comum no Brasil e no mundo com 176 mil casos do tipo não-melanoma, segundo o Instituto Nacional do Câncer. Profissionais da saúde também concordam que para prevenir essas doenças, é necessário se expor ao sol com moderação, evitando, sobretudo, o período das 10h às 15h, no qual o sol está mais forte, usar chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UVB e UVA (nossos olhos também precisam de proteção) e usar protetor solar, nosso maior aliado contra o câncer de pele.

Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre qual o melhor protetor solar para o seu tipo e tom de pele, como escolher o melhor produto e se é necessário reaplicar após entrar na água. Por isso, neste artigo o blog da Amparo Saúde irá tirar todas as suas dúvidas sobre esse assunto. Compartilhe!

Sol: mocinho ou vilão?

A exposição moderada ao sol é fundamental para a saúde do ser humano, pois é o único jeito natural de fazermos a síntese da Vitamina D, composto com funções essenciais para os ossos, músculos, rins, sistema imunológico (prevenindo diversas doenças, como o câncer) e com benefícios em outros órgãos e sistemas.

Também existem estudos mostrando que à exposição ao sol ajuda no controle da pressão arterial e na saúde mental das pessoas. Segundo Artigo da Harvard Medical School, a exposição ao sol  pode ajudar pessoas que sofrem de depressão.  

Isso quer dizer que você deve ficar o dia inteiro embaixo do sol sem camiseta? Não, e vamos explicar porque.

Os raios ultravioletas que são emitidos pelo sol, penetram na pele e causam diversas reações nas nossas células. Uma das reações é ativar os melanócitos, as células que produzem melanina, nos deixando bronzeados. Outro efeito do sol é causar danos ao DNA das células da pele, matando-as -  por isso, é comum a pele descamar após exposição prolongada ao sol -, o que pode causar mutações que aumentam o risco de câncer de pele. Essas lesões continuam acontecendo até 3 horas após a exposição ao sol, segundo artigo da Revista Science.  Entenda mais sobre o câncer de pele clicando aqui.

Lembrando que, quanto mais o tecido ou órgão está exposto ao ambiente externo, mais ele sofre ação desse ambiente (como os danos que o sol causa), e mais as células precisam se renovar. Como consequência dessa renovação, maiores são as chances de um erro no DNA acontecer e essas células passarem a se multiplicar sem controle e invadir outros tecidos: o câncer. Nós explicamos isso no nosso artigo sobre o câncer de mama.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, ações que minimizem a exposição ao sol - como o uso de bonés, protetor solar e não se expor nos horários nos quais os raios ultra violetas são mais intensos, reduzem em até 50% o risco de desenvolver câncer de pele. A seguir explicaremos melhor como o protetor solar é um aliado importante contra essa doença.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

O que é FPS?

FPS é a abreviatura de “fator de proteção solar” e é ele que ajuda a bloquear a pele da radiação solar.

O sol emite dois tipos de radiação: raios UVA e UVB. Os primeiros contribuem para os sinais de envelhecimento da pele, como rugas e flacidez, e conseguem penetrar mais profundamente na pele. Já os raios UVB são mais cancerígenos e frequentemente responsáveis ​​por queimaduras solares. Além disso, os raios UVA também tornam os raios UVB mais reativos, portanto, combinados, os dois podem ser mortais.

Você está exposta(o) à radiação nociva do sol praticamente sempre que estiver do lado de fora ou perto de uma janela com luz solar e essa radiação tem um efeito na pele, mesmo que você não sofra queimaduras solares.

O FPS atua ampliando as defesas naturais da pele contra os raios solares. Por exemplo, um FPS de 15 fornece cerca de 15 vezes mais proteção do que apenas sua pele normal sem protetor solar. Um FPS 50, então, forneceria 50 vezes mais proteção do que a pele sem protetor solar e assim por diante.

Veja também: Consulta por telemedicina é mais "fria"? Clique aqui e entenda melhor.

Como escolher o protetor solar ideal para você

Respondendo a pergunta: o protetor solar adequado para qualquer pessoa deve ter proteção de amplo espectro (proteger contra raios UVA e UVB), ter FPS acima de 30 e ser resistente à água.

A Sociedade Americana de Dermatologia recomenda, para baixa exposição ao sol, como ir ao mercado pela manhã ou ir trabalhar (caso você não exerça uma atividade ao ar livre, como carteiro) um hidratante ou maquiagem com FPS 30 embutido ou um protetor com o mesmo FPS. No entanto, para outras situações, você deve considerar o seu tom de pele a atividade ao ar livre para determinar que tipo de protetor solar deve usar.

Quanto mais clara é a pele, maior a tendência dela ficar vermelha e queimada, e maior deve ser o fator de proteção solar, mas isso não significa que pessoas morenas, com pele menos clara ou negras não precisam se proteger do sol.

Então, pessoas negras precisam usar protetor solar?

A resposta é sim! Pessoas negras também precisam se proteger do sol, pois não estão imunes aos efeitos nocivos da radiação ultravioleta. Além disso, apesar de estatisticamente o câncer de pele ser menos comum em pessoas negras, estudos americanos demonstram que estas têm 4 vezes mais chances de serem diagnosticadas com melanoma em estágio avançado e 1,5 vezes  mais chances de morrerem, quando comparadas às pessoas brancas com o mesmo diagnóstico. 

Também é importante analisar se você vai ficar sob a luz direta do sol por longos períodos. Se você estiver na praia, nadando ou praticando esportes ao ar livre, convém usar um FPS mais alto, como FPS 50 ou FPS 60 , e reaplicá-lo com frequência. Existem alguns casos em que um FPS mais alto pode ser necessário, como se você tiver um histórico de câncer de pele, albinismo ou distúrbios imunológicos que fazem você se queimar facilmente.

Para finalizar outras dicas:

  • Aplique protetor solar suficiente para cobrir toda a pele que a roupa não vai cobrir. Nada de economia! Protetor solar é seu aliado.
  • Não se esqueça de aplicar no topo de seus pés, pescoço, orelhas e topo de sua cabeça.
  • Aplique protetor solar na pele seca 15 minutos antes de sair para a rua.
  • Nos lábios, aplique protetor labial ou batom que contenha protetor solar com FPS 30 ou superior.
  • Quando estiver ao ar livre, reaplique o protetor solar aproximadamente a cada duas horas, ou após nadar ou suar, de acordo com as instruções do frasco.

Com essas informações e dicas, esperamos que você aproveite o sol e o verão com moderação, protegendo a sua pele e a sua saúde!

Caso você tenha outras dúvidas sobre proteção solar ou outro assunto, fale com o seu profissional de saúde de confiança. Essa pessoa será capaz de te orientar sobre maneiras de proteger a sua saúde e bem-estar a longo prazo. Na Amparo Saúde temos um time de profissionais prontos para te acolher! Fale com a gente.

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Não vá embora!  Confira os artigos que separamos especialmente para você.

Pele ressecada? Confira dicas para acabar com esse problema. Clique aqui. 

Exame de toque é o único jeito de detectar o câncer de próstata? Clique aqui.

Diabetes: existe uma alimentação ideal para quem sofre da doença? Clique aqui.

Sem tabu: benefícios do sexo vão muito além do que você imagina. Clique aqui