banner01

Como aliviar as cólicas menstruais: dicas para diminuir esse incômodo e viver melhor

 

As cólicas menstruais atingem muitas mulheres, sendo que, para algumas chegam a causar grande prejuízo na qualidade de vida e nas atividades diárias por alguns dias durante cada mês.  De acordo com a Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), a prevalência das cólicas menstruais é de até 95%. 

As cólicas são dores contínuas ou em forma de pontadas na região inferior do abdômen ou bacia que irradia para as costas e coxas e variam de intensidade, podendo ser fortes em algumas mulheres.

Também é comum que sejam acompanhadas de outros sintomas como náuseas, vômitos, enxaqueca e diarreia.

Apesar de muito comum e natural, as cólicas ainda são tabu na nossa sociedade e, muitas mulheres, aprendem a conviver com elas em silêncio por conta de retaliação ou prejuízos no trabalho. Segundo o Estudo DISAB (Dismenorreia e Absenteísmo no Brasil), as cólicas diminuem em até 67% a produtividade das mulheres no trabalho.

O que causa a cólica menstrual

As cólicas menstruais, ou dismenorreia, começam, geralmente, de 1 a 3 dias antes da menstruação, atingindo um pico 24 horas após o início do período menstrual e são causadas pelas prostaglandinas, sinais químicos semelhantes aos hormônios que, nas mulheres, são responsáveis, dentre outras coisas, pelas contrações uterinas do parto e da menstruação. 

Essas contrações podem ser muito fortes e, ao contraem os vasos sanguíneos, cortam o suprimento de oxigênio para o útero. É esse processo fisiológico que causa dor!

Já foi observado que níveis mais altos de prostaglandinas estão associados a cólicas menstruais de forte intensidade.

As cólicas são normais e um dos sintomas mais comuns que vêm junto ao ciclo menstrual. Porém, cólicas mais fortes precisam ser avaliadas por profissionais, pois podem ser causadas por outros fatores como:

  • Endometriose: crescimento do tecido que envolve o útero, o endométrio, fora do órgão.
  • Miomas: tumores benignos que se forma no tecido muscular do útero.
  • Adenomiose: crescimento anormal do endométrio na parede uterina.
  • Doença inflamatória pélvica: infecção causada por micro-organismos que se propagam da vagina para o útero, tubas uterinas ou ovários
  • Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail

Como aliviar a cólica menstrual

As cólicas são um companheiro incômodo de muitas mulheres todos os meses, por isso, é comum encontrar na internet receitas caseiras ou dicas para aliviar as dores. O Blog da Amparo Saúde separou algumas dicas do nosso time de saúde para diminuir esse incômodo:

  • Massagem do tecido conjuntivo: técnica de massagem desenvolvida na Alemanha que pode ser feita em casa. Segundo estudo da Universidade de Campinas (UNICAMP), essa técnica pode ser bastante útil e aliviar as dores nas costas.
  • Chás: alguns chás possuem efeitos analgésicos, calmantes, anti- inflamatórios e antiespasmódicos (diminuem os espasmos).

O chá de gengibre com camomila é uma opção, pois enquanto o gengibre é comprovadamente anti-inflamatório, a camomila irá te ajudar a relaxar. Além desse chá, também aposte no chá de orégano ou chá de calêndula.

  • Bolsa de água quente: uma bolsa de água quente colocada gentilmente sob a região das cólicas pode ajudar a diminuir as dores, pois o calor possui efeito vasodilatador, aumentando o fluxo sanguíneo na região, e inibe a ação das prostaglandinas. 

Além disso, o calorzinho aumenta a nossa sensação de bem-estar, ajudando a mulher a aguentar esse período.

Dica: se você não tiver bolsas de borracha apropriadas, esquente um pano molhado no micro-ondas ou molhe-o com água morna. Lembre-se que esse pano não precisa estar muito quente, apenas morno!

Caso essas dicas não funcionem para você e, caso o seu médico indique, o uso de medicamentos pode ser necessário para alívio dos sintomas.  

Dicas para aliviar as colicas

Qual medicamento usar para aliviar as cólicas

Para alívio das cólicas menstruais leves pode ser indicado o uso de medicamentos analgésicos, como aspirina, paracetamol e ibuprofeno. A dosagem varia de acordo com a intensidade da dor. Em alguns casos, medicamentos anti-inflamatórios também são indicados.

Lembre-se sempre de falar com o seu médico de confiança para entender se a medicação é necessária para o seu caso.

Quando procurar um médico

Como já falamos, as cólicas menstruais são comuns, porém, caso elas sejam de forte intensidade e durem mais de 2 a 3 dias, é importante procurar um profissional de saúde. Essa pessoa analisará o seu caso e investigará quais as causas para a sua dor incomum.

Por isso, é muito importante manter uma relação aberta de confiança com a(o) sua médica(o) de família. Na Amparo Saúde temos um time de saúde pronto para te acolher presencialmente ou por telemedicina.. Fale com a gente!

Clique aqui para receber dicas de saúde direto no seu e-mail